RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS, QUADRO A ÓLEO PINTADO SOBRE MADEIRA.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



SOTTO MAYOR. (Frei Luís de) CANTICI CANTICORUM. SALOMONIS INTERPRETATIO.

Autore F. Lodovico Soto Mayor Ord. Praedicat. S. Theol. Magistro, et Divinarum Conimbricae Professore. Quam speciosi pedes evangelizantium bona. Rom. x. Ulysippone [Lisboa], Apud Petrum Crasbeeck, 1599 [Colofon] Olysippone, Cum licentia Sanctae & generalis Inquisitionis excudebat Petrus CrasbeecK, Anno Domini 1601. 

2 volumes de 29x20,7 cm. Com [vi, ii br.], lxiv, 1 - 723, [i br.] págs; 725 a 1319 (aliás 1317), [1], 152, [iii, i br.] págs. Encadernações da época, inteiras de pergaminho flexível, conservando as guardas originais.

Magnifico frontispício alegórico com motivos arquitectónicos e emblemáticos gravado a talhe-doce, 'Ernesto Soares. 'A cartela central é ocupada pela figura da pastora Sulamite, sobre a qual anjos deixam cair rosas e à volta pode ler-se a legenda: “Fulcite me floribus, quid amore langueo”, ou seja, 'amparai-me com flores, porque me sinto desfalecer de amor'.

Exemplar encadernada em dois volumes, com alguma acidez própria do papel útilizado na edição, mais forte no último caderno. O franstispício apresenta dois carimbos de posse coevos circulares (provavelmente de congregração religiosa) com as iniciais CVPF, que se repetem na frente da folha AA1 (p. 725). Duas cotas de biblioteca manuscritas nas folhas de guardas de ambos os volumes. Ocasionais manchas ligeiras de humidade. Erro de paginação de 1217 para 1220.

Obra rarisima da qual não existe exemplar na BNP, segundo a Porbase em Portugal apenas existem exemplares em mau estado nas Bibliotecas da Universidade de Coimbra. Foi uma grande empresa editorial e tipográfica, subsidiada pela Universidade de Coimbra e demorou vários anos a ser produzida, devido a dificuldades financeiras, como se pode ler no previlégio régio que acompanha a obra.

Os comentários de Sotomaior ao “Cântico dos Cânticos” do rei Salomão, são um vasto repositório da cultura clássica, humanística, patrística e rabínica, incluindo citações de São Bernardo, Orígenes, São Gregório, São Jerónimo, Becano e outros; entre os clássicos greco-latinos encontramos Homero, Plutarco, Eurípedes, Platão, Aristófanes, Virgílio, Juvenal, Horácio, Ovídio, Cícero e muitos outros.

Entre as quase seis centenas de edições comentadas publicadas até fins do século XVI a de Sotomaior é uma das mais notáveis e importantes, sendo como que o culminar de uma tradição, o seu ponto mais alto. O autor discute longamente a tradução mais apropriada de cada passo e o seu significado preciso de forma exaustiva, com grandes desenvolvimentos das diversas passagens bíblicas, para extrair do texto sagrado o maior número de ensinamentos para o leitor e revela sempre o interesse em fazer doutrina e apresentar orientações práticas para a vida do cristão. 

Ao mesmo tempo desenvolve temas teológicos com grande profundidade e saber, como por exemplo, sobre os Anjos, Cristo, a Igreja, Deus, a Virgem Maria e os Sacramentos. Todos os artigos da Fé e da moral Cristã são tratados nesta magnífica obra.    

O Cântico dos Cânticos é um dos mais comentados textos da Sagrada Escritura e um dos mais difíceis de interpretar. Desde o início da imprensa, cerca de 1460 até ao fim do século XVI foram publicadas 107 edições em várias línguas e 569 edições comentadas. Algumas delas são obras cimeiras da literatura universal como as de Fr. Luís de Leon, Santa Teresa de Jesus São João da Cruz. No século XX, são notáveis os comentários de Paul Claudel e em Portugal de Tolentino de Mendonça. 

Fr. Luís de Sotto Mayor (1526-1610), religioso dominicano, natural de Lisboa, ingressou na ordem em 1543 e concluiu os seus estudos na Universidade de Lovaina, na Flandres; notável pregador, dominando o latim e o grego, participou na terceira sessão do Concílio de Trento e foi lente de prima de Sagrada Escritura na Universidade de Coimbra, durante mais de 20 anos. Foi partidário de D. António, Prior do Crato e por isso esteve afastado do ensino durante algum tempo. É autor de outro comentário ao Cântico, publicado em Paris em 1611 e de Comentários à epístolas de S. Paulo, publicadas em Paris em 1610. 

Ref.: Barbosa Machado, III, p. 141/144. Anselmo, 525. Palau, 320535. BN (Séc. XVI), 859. Biblioteca de D. Manuel II, 507. Arouca, S 492. Ernesto Soares? Manuel Augusto Rodrigues. Ecos da Exegese Judaica medíeval nas obras bíblicas, In: Pensamiento Medieval Hispano, Homenaje a Horacio Santiago-Otero. CSIC: Madrid, 1998, p. 1417-1423.   

Referência: 2201AD001
Local: M-10-B-30


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters