RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



PITA. (Manuel Moreira) POEMA AFRICANO.

SVCESSOS DE D. FERNANDO MASCAREÑAS, del Consejo de su Magestad, General de Cepta, en el discurso de seys años que lo fue de Tanjar. AL EXCELENTISSIMO SENOR DON Gaspar de Guzman, Conde de Oliuares, Duque de Sanlucar, del Consejo de Estado de la Magestad de Felipe IIII. y su Cauallerizo mayor, y Sumiller de Curpus, &c. Mandado imprimir por Manuel Pereira Pita, cavallero hidalgó de la casa de su Magestad, Com Licencia. En Cadiz por Iuan de Borja. Año 1633.

In 4º (de 20,5 cm)**

Com [8],111 fólios.

Encadernação da época em pergaminho.

Brasão de armas do Conde de Olivares a quem o livro é dedicado no verso da folha de rosto.

Exemplar com guardas novas; leve mancha de humidade; pequeno corte de traça junto ao festo; fólio O7 com restauro e perda de suporte afectando o texto.

Primeira edição deste relato sobre o governo de D. Fernando Mascarenhas na cidade de Tânger. A autoria é atribuída a Manuel Moreira Pita, ainda que a obra não seja clara na menção dessa responsabilidade e Inocêncio também deixe a dúvida sobre se foi apenas o editor ou também o autor deste poema. D. Fernando Mascarenhas, primeiro conde da Torre, foi governador e capitão geral de Ceuta e Tânger e governador-geral do Brasil entre Janeiro de 1639 e Novembro do mesmo ano.

Inocêncio VI, 68. “Manuel Moreira Pita, Fidalgo da Casa Real, e natural de Tanger, nascido no tempo em que esta cidade pertencia ao dominio portuguez. - Compoz, ou publicou a obra seguinte, que é rara e de estimação, por ser de assumpto nacional, posto que escripta em castelhano: Poema africano: Successos de D. Fernando Mascarenhas, del consejo de Su Magestad, general de Septa, en el discurso de seis años que lo fue de Tanger. Cadix, por Juan de Borja 1633. 4.º de 111 folhas numeradas pela frente. Existe na livraria de Jesus um exemplar, bastante deteriorado.”

Palau 181451 '“no sabemos de ninguna biblioteca española que lo posea”;

Samodães 2166. Rarissimo. «O poema compreende cinco Cantos em verso heroícode oitava rima. [...] A impressão, cuidada e nítida, foi executada com caractéres redondos bastante salientes. Todas as páginas são guarnecidas de dois filetes paralelamente dispostos, tal como se vê na página do frontispício. Poema muito estimado. O autor, fidalgo da Casa Real, era natural de Tanger, onde nasceu na época em que esta cidade era ainda domínio português. Os exemplares são considerados extremamente raros; Inocêncio parece não ter visto mais de um exemplar, ou seja o existente na libraria de Jesus (actualmente da Academia das Ciências de Lisboa), que por sinal se encontra deploravelmente deteriorado».

**Medida do exemplar de Samodães: de 17x12 cm.

 African Poem

Dim.: In 4º (20.5 cm)** with [8],111 folios.

Binding: Contemporary full parchment.

Coat of arms of the Count of Olivares, to whom the book is dedicated, at the verso of title page.

Copy with new endpapers; slight foxing; small bookworm traces near the joint; folio O7 with restoration and loss of support affecting text.

First edition of this account on the government of D. Fernando Mascarenhas in the city of Tangier. The authorship is granted to Manuel Moreira Pita, although the work is not clear about that, and Inocêncio also states his doubts about him being the author of the poem or just the editor.

D. Fernando Mascarenhas, 1st Count of Torre, was Governor a General-Captain of Ceuta and Tangir, and General Governor of Brazil from January to November of 1639.

 

Referência: 1604NM009
Local: M-11-C-29

INEXISTENTE





Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters