RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



VELAZQUEZ. (Isidro) LA ENTRADA QVE EN REINO DE PORTUGAL HIZO S. C. R. M. DE DON PHILIPPE,

INVICTISSIMO Rey de las Españas segundo deste nombre, primeiro de Portugal, asi con su Real presencia, como exercito de su felice campo. Hecho por Isidro Velazquez Salmantino, andante en Corte. Impresso com licencia, examen, y aprobación, por Manuel de Lyra. a costa de Symon Lopez Librero M.D.LXXXIII. [1583]. [Lisboa].

In 8º de 10,2x14 cm. Com [iv], 160 fólios.

Encadernação recente inteira de pele com nervos na lombada, com ferros a seco ao gosto da época na lombada e nas pastas formando esquadrias decoradas com motivos florais. Cortes das folhas carminados. 

Ilustrado com o escudo das armas de Portugal no centro da folha de rosto, enquadrado por uma composição que inclui figuras alegóricas que sustêm uma figura com a inscrição Mvsis Sacrvm e que apresenta na parte inferior uma figura alada com as iniciais do impressor. O verso da folha 160 está ilustrado com a marca do impressor Manuel de Lyra, com as suas iniciais e a data, formando um colofon incompleto. A marca também foi usada por João Blávio.  

Impressão muito esmerada em caracteres redondos e itálicos adornada com letras iniciais decoradas e historiadas a iniciar todos os 152 capítulos.  

Variante igual ao exemplar Res 885 P da BNP descrito em D. Manuel 174 (a folha 8 frente tem menos uma linha) de uma obra considerada raríssima já em 1922, por José dos Santos, no Catálogo de Azevedo Samodães 3477. A obra não tem local de impressão e a data só está expressa no colofon.  

Exemplar com assinaturas de posse coevas rasuradas, na folha de rosto, alguns sublinhados com tinta da época no texto, defeitos no pé da folha de rosto atingindo a última palavra do pé de imprensa, o camarão e a primeira letra da folha 1.   

Nas folhas preliminares contém parecer de Fr. Bartolomeu Ferreira, que foi o censor da 1ª edição dos Lusíadas, aprovando a obra por mandado do Arcebispo de Lisboa e Inquisidor Geral e a licença para se imprimir datada de 17 de Outubro de 1581, com três rubricas; quatro sonetos em louvor do autor; dedicatória do autor ao rei D. Filipe II e prólogo do autor ao leitor.    

Obra de grande importância para o estudo da tipografia quinhentista em Portugal, da censura de livros realizada pela Inquisição e fonte muito relevante para o estudo do período da história de Portugal em que Filipe II de Espanha se tornou rei de Portugal. É igualmente valioso para o estudo dos rituais e das cerimónias da corte e das realidades sociológicas que caracterizavam o mundo das monarquias hispânicas. 

Azevedo e Samodães II, 3477. Monteverde 5512. Anselmo 734. Palau 357412. D. Manuel 174, Variante, diferenças na composição do caderno A.

Referência: 1405JC026
Local: M-11-C-24


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters