RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



FERRAZ DE MATOS. (Patrícia) AS CÔRES DO IMPÉRIO.

Representações Raciais no Império Colonial Português. Estudos e Investigações Nº 41. 1ª Edição. Imprensa de Ciências Sociais. Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. 2006.

De 23x16 cm. Com 287 págs. Brochado.

Ilustrado no texto a preto e branco com gravuras, reproduções de cartazes e de páginas de jornais e fotografias.

Exemplar com ligeiras manchas na capa anterior de brochura. Preserva etiqueta e talão do editor na folha de guarda anterior.

A capa de brochura posterior apresenta: Agora que Portugal se tornou um país de imigração, precisamos de conhecer quando, onde e como se formaram as nações racialistas que, para lá da crítica científica e de alguma censura social, persistem. Teimam em sobreviver reproduzem-se e adaptam-se, perpetuando a naturalização da desigualdade. As Côres do Império confirma a oportunidade e a urgência da análise crítica histórica e antropológica dos legados do colonialismo". (Miguel Vale de Almeida, Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa)

"O texto de Patrícia Matos levanta uma questão fundamental para a Antropologia dos nossos dias, a saber: aqueles cientistas que denunciaram a «contaminação étnica» ou que aprofundaram as razões quanto a "incerteza do mestiço" foram ilustres cientistas, personalidades de prestígio internacional, homens com curriculum académico acima de qualquer suspeita. Põe-se então a questão: que amanhã para a Antropologia de hoje? A Antropologia tem avançado muito em Portugal mas terá ainda que avançar muito mais para se dar conta das suas enormes limitações. As Cores do Império são, em minha opinião, um bom contributo nesse sentido". (Manuel Laranjeira Rodrigues de Areia, Universidade de Coimbra)

A obra de Patrícia Matos, colocada sob a invocação da cor, o indicador mais divulgado na construção e reprodução de identidades racializadas, constitui um trabalho rigoroso, exaustivo e estimulante dedicado, numa perspectiva comparada, a investigação do papel das representações raciais na dominação colonial portuguesa. (José Manuel Sobral, Instituto de Ciências Sociais)

Prémio de Historia Contemporânea da Universidade do Minho, 2005.

Referência: 2107JL177
Local: I-82-E-18


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters