RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



ÁLBUM SALÓN. [Año 1900]

Revista quincenal Ibero - Americana de Literatura y Arte. Primera ilustración española en colores. Director-Proprietario, Miguel Segui. Redactor-Jefe, Salvador Carrera. Centro Editorial Artístico de Miguel Segui. Barcelona. Año 1900.

De 39x29 cm. Com [iv], 291, [v] págs. Encadernação do editor, com elaborados ferros a ouro na pasta anterior e na lombada; ferros a seco na pasta posterior. Preserva a capa de brochura anterior do número 57, ano IV - 1.º de Enero de 1900.

Profusamente ilustrado no texto com reproduções de elevada qualidade de: pinturas, retratos, desenhos, mapas, fotografías, objetos artísticos, esculturas, caricaturas e vinhetas. As ilustrações são a cor e a preto e branco, algumas de página inteira, outras de página dupla; e de uma beleza extraordinária.

Exemplar com etiqueta do encadernador «Alberto Vianna, Coimbra» no verso da pasta anterior.

Surge no verso da capa de brochura anterior uma extensa lista de colaboradores, dos quais se destacam: escritores - Leopoldo Alas (Clarín), Miguel Alderete Gonzalez, Manuel de Alisal, J. Alvarez Guerra, Rafael Altamira, Rámon de Campoamor, José Echegaray; pintores e ilustradores - Joaquín Agrasot, Fernando Alberti, Alvarez Dumont (Eugenio y César), T. Andreu, Dionisio Baixeras, Mateo Balasch; músicos - Isaac Albéniz, Francisco Alió, Federico Alfonso, Mescedes Argila, Delfin Armengol, Ruperto Chapí, Enrique Granados.

Nos finais do século XIX, as revista ilustradas espanholas sofrem uma transformação importante, com a introdução das gravuras a cores, em conjunto com o reportório fotográfico. A revista «Álbum salón» surgiu em 1897 e anunciou-se como a «primeira ilustração espanhola a cores». Provavelmente, esta revista publicada pelo Centro Editorial Artístico de Miguel Segui, Barcelona, foi a publicação ilustrada com melhor qualidade da sua época. Trata-se de uma publicação de luxo e de grande formato, cuja fama era tal, que se dizia que a revista era lida pela maior parte das familias nobres e da aristocracia, incluindo a Família Real.

Os primeiros números eram publicados quinzenalmente, com cerca de 16 página cada, no entanto tanto a sua periodicidade, como o número das páginas de cada número, variaram ao longo dos anos. A partir de 1900 realizou-se uma publicação anual, que reunia todas as publicações quinzenais, atingindo cada uma cerca de 200 a 300 páginas.

Entre as gravuras encontramos retratos de personagens ilustres e populares, cenas tradicionais e religiosas, cartazes de famosos ilustradores da época. Grande parte destas são reproduções de aguarelas e pinturas de aclamados artistas que colaboraram com a revista, como: Laureano Barrau, Gaspar Camps, Baldomero Galofre, Ricardo Brugada, Gabriel Puig-Roda, Tomas Moragas, Felix Mestres, Ramon Tusquets, Mariano Benlliure, Ricardo Madrazo, Santiago Rusiñol, Joaquín Sorolla, José Arija, Cecilio Pla, Ángel Lizcano, Félix Mestres, Marcelino de Unceta, Enrique Estevan, Francisco Miralles, Enrique Serra, José Cusachs, Sans Castaño.

Os temas e assuntos abordados são muito variados, desde: arte, pintura, música, teatro, desportos e tauromaquia; artigos literários, científicos, de moda, biográficos e de personagens sociais; crónicas, reportagens, breves contos e poesias. Continha algumas secções fixas como as vinhetas humorísticas de Joaquín Xaudaró o Miguel Navarrete, as páginas literárias de Salvador Carrera e Luis del Val, as crónicas de Pablo Segovia, entre outras. Alguns escritores notáveis que colaboraram com a revista são: Emilia Pardo Bazán, Benito Pérez Galdós, Rafael Altamira, Federico Balart, Vicente Blasco Ibáñez, Ramón de Campoamor, José Echegaray, Carlos Frontaura, Mariano de Cavia, Teodoro Llorente, Sinesio Delgado, Luis Bonafoux, Eusebio Blasco, Vital Aza, Víctor Balaguer, Juan Valera, Jacinto Octavio Picón, Gaspar Núñez de Arce, José Ramón Mélida, Melchor de Palau, F. Miquel y Badía, José Villegas (Zeda), Isidoro Fernández Flórez (Fernanflor) o José Gutiérrez Abascal (Kasabal).

Junto com a revista, era também oferecida uma litografia solta dedicada à moda e partituras musicais (que não consta da presente publicação anual).

Foi publicada até 1907.

Ref.: Odisea2008; Hemeroteca Digital - Biblioteca Nacional de Espanha.

Referência: 2102SB008
Local: I-93-I-18


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters