RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



PEREIRA. (Bento) PROSODIA IN VOCABULARIUM BILINGUAE, LATINUM, ET LUSITANUM DIGESTA, [11ª EDIÇÃO]

In qua dictionum significatio, & syllabarum Quantitas Expenditur. Opus Omnino Necessarium Professoribus Sacrarum, et Huamniorum Literarum, Medicis, Juristis, & omnibus cujuscunque facultatis Studiosis; tum propter innumeras dictionis, quas à Sacris, & profanis Auctoribus decerptas exponit; tum propter recondita carmina omniu Veteru Poëtaru, & Recentioru clari nominis, quos omnes Auctor ad expendendas syllabas perlegit. AUCTORE P. D. BENEDICTO PEREYRA Societ. JESU, Portugallensi, Borbano, in Eborensi Academia Primario olim Rhetorices Professore, & tandem in eadem Academia Sac. Theol. Professore Primario. NONA EDITIO Auctior, et Locupletior AB ACADEMIA EBORENSI. Prodit opus in hac nova editione innumeris propemodum erroribus purgatum, pene incredibili vocabulorum, quae desiderabantur, numero auctum : è quibus sunt superaddita viginti circiter quatuor millia, à plusquam tercentis Auctoribus hûc translata, quorum nomina in catalogo infrà conscripta offendes. Omnia quoad fieri potuit, & Lusitano idiomate, & quantitate, & auctoritate donantur. Quae asterisco * notantur, cautè usurpanda; vel enim Auctore destituuntur; vel non temerè sunt aemulanda, cùm à communi usu abhorreant. EBORAE, Cum facultate Superiorum, ex Typographia Academiae, Anno Domini. M. DCC. XLI. [1741]. 

In fol. de 30,9x22 cm. Com [viii], 1359 págs. Encadernação da época inteira de pele, com nervos, ferros a ouro em casas fechadas e rótulo castanho.   

Folha de rosto impressa a vermelho e negro, impressão nítida decorada na página 1228, com um florão de remate muito elaborado com o trigrama divino no centro. 

Exemplar com furo de traça muito pequeno no festo e à cabeça das páginas 1249 ao fim.   

As páginas preliminares contêm o prólogo da Universidade de Évora, o prólogo do autor, o catálogo dos autores e obras que foram usados para seleccionar as palavras, regras de gramática e as licenças, com datas de 2 de Outubro de 1739 a 16 de Julho de 1741. A Prosodia ocupa as primeiras 1064 páginas. de página 1065 a 1228 contém: Thesouro da Lingua Portugueza e de páginas 1229 a 1296 inclui: Frases portuguesas a que correspondem as mais puras e elegantes latinas; de páginas 1296 a 1324 Adágios portugueses com seu latim proverbial correspondente; e de página 1325 ao fim a Tertia pars selectissimarum descriptionum, quas idem auctor vel olim a se compositas, vel a probatissimis scriptoribus emendicatas alphabetico ordine digessit. que serviam para aprendizagem escolar e para exercitação da escrita e da oratória.   

11ª Edição rara, que não é mencionada por Barbosa Machado nem por Inocêncio. A obra foi publicada pela primeira vez em Évora, 1634, a que se seguem mais 11 edições em 1653, 1661, 1669, 1674, 1683, 1697, 1711, 1723, 1732, 1741 e 1750. As primeiras seis edições têm a designação de Trilingues por incluirem os significados de algumas das palavras latinas em castelhano. A 10ª edição de 1732 e esta 11ª edição de 1741, têm a designação errada de nona edição nas folhas de rosto.    

Marco da história da lexicografia bilingue latina e portuguesa. Obra muito importante para a história do ensino do latim e da língua portuguesa em Portugal, na Europa e na América do Sul. Este volume, que reúne os dicionários Prosodia latim-português e Tesouro português-latim, além de outras obras, foi um importante manual de ensino do latim e do português nos colégios inacianos, em Portugal e no espaço de ensino e de missão da Companhia de Jesus, em todo o mundo. 

Apesar de ter sido proibida e mandada destruir (Alvará de 28 de Junho de 1759) por D. José aquando da ordem de encerramento dos Colégios da Companhia, que antecedeu a expulsão dos jesuítas em 3 de Setembro de 1759, a Prosodia continuou a ser usada em todo o mundo até bem entrado o século XIX, (em Portugal só foi realmente substituída pelo Dicionário de Torrinha de 1939) e sobreviveu fisicamente aos tempos, chegando até nós diversos exemplares de cada edição em bibliotecas espalhadas pelo mundo e na posse de particulares. 

A Prosodia contém 75 818 entradas latinas, sendo assim um dos mais amplos e abrangentes dicionários da sua época.

O Tesouro da Língua Portuguesa, que tinha sido publicado em volume separado no ano de 1647 e passou a ser reeditado junto com todas as edições da Prosodia, é uma importante fonte de referência para a fixação da nomenclatura lexical portuguesa. Quase sem ser alterado, foi reproduzido em sucessivas reedições durante o século XVII, com cerca de 24.000 entradas que se mantiveram mesmo depois da grande revisão da Prosodia, em 1697, prefigurando já toda a capacidade de inovação do vocabulário moderno. O Tesouro tornou-se uma importante referência normativa para a língua portuguesa; contribuiu certamente para modelar a tradição ortográfica, e foi o primeiro "corpus" do léxico português formado a partir do património textual.

As três obras finais serviam para aprendizagem escolar e para exercitação da escrita e da oratória.   

Bento Pereira (Borba 1605 - Évora 1681) Entrou para a Companhia de Jesus, em 27 de Junho de 1627, fez o noviciado em Lisboa e completou a formação humanística em Coimbra e Évora doutorando-se em 24 de Fevereiro de 1647. Foi prefeito dos estudos na Universidade de Évora, professor de retórica, teologia e filosofia na Universidade de Évora, em Lisboa, no Colégio de Santo Antão e mestre de teologia no Seminário dos Irlandeses, em Lisboa. Desempenhou as funções de Qualificador do Santo Ofício, Revisor Geral dos livros da Companhia de Jesus em Roma (1670-1672) e de reitor do Colégio dos Irlandeses em Lisboa. 

Escreveu: Prosodia, Évora, 1634; Pallas Togata et Armata, Évora, 1636; Tesouro da língua portuguesa, Lisboa, 1647; Florilégio, Lisboa, 1655; Academia seu Respublica Litteraria, Lisboa, 1662; Promptuarium Juridicum, Lisboa, 1664; Regras Gerais, breves e compreensivas da melhor Ortografia, com que se podem evitar erros no escrever da língua latina, e Portuguesa, Lisboa, 1666; Elucidarium Sacrae Theologiae Moralis et Juris Utriusque, Lisboa, 1668; Promptuarium Theologicum Morale, 2 Volumes, Lisboa, 1671 e 1676; Ars Grammaticae pro Lingua Lusitana addiscenda Latino idiomate proponitur, Lyon, 1672.     

Helena Freire Cameron. O Conjunto lexicográfico Prosodia (1634-1750), de Bento Pereira, S. J. Publicações do Cidehus. Évora. 2018.    

Telmo Verdelho. Dicionário Portugueses, Breve História. Publicações da Universidade de Aveiro. 2003. pág. 6. 

Inocêncio I, 352-353.

Barbosa Machado I, 508-510.

Referência: 2012PG015
Local: SACO PG41


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

SERVIÇOS

Avaliações e Compra


Organização de Arquivos


Pesquisa Bibliográfica


A SUA ENCOMENDA

Ver

Encomendar


Valor: €0

Temáticas


Índice Geral / All Categories

Livros Raros / Rare Books

free counters