RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



BOCAGE. (Manoel Maria de Barbosa) OBRAS POETICAS DE MANOEL MARIA DE BARBOZA BOCAGE.

Tomo I - precedido de uma memória sobre a vida e escritos deste poeta, Tomo II;  Tomo III e Tomo IV - precedido de uma memória sobre a vida e escritos deste poeta por José Maria da Costa e Silva; Tomo V e VI; Tomo VII. Typ. de A. J. da Rocha. Lisboa. 1849.

7 volumes encadernados em 4 de 15x10 cm. Com 348 e 368 (volume I e II); 303 e 416 (volume III e IV); 428 e 292 (volume V e VI) e xv, 313, 46, 64 (volume VII) págs.

O volume 7 inclui mais 2 obras do autor, com títulos e paginação próprias:

II - POESIAS SATÍRICAS E INÉDITAS DE MARIA MANOEL DE BARBOZA BOCAGE, coligida pelo professor de greco do 1º liceo nacional de Lisboa, António Maria de Couto e pelo mesmo anotadas para as memórias biográficas, e criticas sobre a vida, e escritos deste insigne vate consideravelmente augmentadas e corregidas. 2ª Edição mais correcta e augmentada. Com 46 págs.

III - SONETOS E OUTRAS PEÇAS SATÍRICAS de Manoel Maria Barboza de Bocage pela primeira vez impressas. Com 64 págs.

Edição rara que não é citada por Inocèncio, que refere no entanto a memória de Costa e Silva, sobre a vida e escritos de Bocage, sem indicar o local de publicação (VI, 47). Esta omissão pode ter sido devida ao facto de Incêncio se ter incompatibilizado com Costa e Silva, facto que é patente no artigo que escreveu sobre ele e onde não menciona nem a memória nem a edição.       

Os volumes contêm todos os géneros de poesias cultivados pelo autor, um dos maiores poetas portugueses, célebre pela sua brilhante metrificação e domínio da expressão poética, como sonetos, odes, elogios, dramas, epístolas, elegias, epigramas, madrigais, apólogos, quadras, glosas e também traduções de autores do mundo clássico e de autores franceses e italianos contemporâneos que são muitas delas modelos supremos de tradução poética.

Manuel Maria de Barbosa l´Hedois du Bocage (Setúbal, 15 de setembro de 1765 – Lisboa, Mercês, 21 de dezembro de 1805) foi um poeta português e, possivelmente, o maior representante do arcadismo lusitano. Embora ícone deste movimento literário, é uma figura inserida num período de transição do estilo clássico para o estilo romântico que terá forte presença na literatura portuguesa do século XIX. Era primo em segundo grau do zoólogo José Vicente Barbosa du Bocage.

Bocage é considerado, com justeza, um dos maiores sonetistas portugueses. Na sua poesia sente-se a herança clássica, concretamente a camoniana, pelo temperamento, por grande parte dos temas (como o ciúme, a noite, a morte, o egotismo, a liberdade, o amor - muitas vezes manifestado por uma expressão erotizante) e pela insistência nalgumas imagens e verbos que denunciam uma vivência limite. Uma parte significativa da produção poética de Bocage é já marcadamente pré-romântica.

 7 volumes bound in 4 of 15x10 cm. 348 and 368 (volume I and II); 303 and 416 (volume III and IV); 428 and 292 (volume V and VI) and xv, 313, 46, 64 (volume VII) pp.

Volume 7 includes 2 more works by the author, with their own titles and pagination:

II - POESIAS SATÍRICAS E INÉDITAS DE MARIA MANOEL DE BARBOZA BOCAGE, coligida pelo professor de greco do 1º liceo nacional de Lisboa, António Maria de Couto e pelo mesmo anotadas para as memórias biográficas, e criticas sobre a vida, e escritos deste insigne vate consideravelmente augmentadas e corregidas. 2ª Edição mais correcta e augmentada. 46 pp.

III - SONETOS E OUTRAS PEÇAS SATÍRICAS de Manoel Maria Barboza de Bocage pela primeira vez impressas. 64 pp.

The volumes contain all the genres of poetry cultivated by the author, one of the greatest Portuguese poets, renowned for his brilliant metrification and mastery of poetic expression, such as sonnets, odes, eulogies, dramas, epistles, elegies, epigrams, madrigals, apologues, quatrains, glosses, and also translations of authors from the classical world and contemporary French and Italian authors who are, many of them, supreme models of poetic translation.

Manuel Maria de Barbosa l´Hedois du Bocage (Setúbal, 15 September 1765 - Lisbon, Mercês, 21 December 1805) was a Portuguese poet and possibly the greatest representative of Lusitanian Arcadism. Although an icon of this literary movement, he is a figure inserted in a period of transition from the classical to the romantic style that will have a strong presence in 19th century Portuguese literature. He was the second cousin of the zoologist José Vicente Barbosa du Bocage.

Bocage is rightly considered one of the greatest Portuguese sonnetists. In his poetry one can feel the classical heritage, specifically that of Camões, by his temperament, by most of the themes (such as jealousy, the night, death, egotism, freedom, love - often manifested by an erotic expression) and by the insistence on some images and verbs that denounce a borderline experience. A significant part of Bocage"s poetic production is already markedly pre-romantic.

Inocêncio VI, 45 a 53 e XVI, 260-264.  

Referência: 2004PG060
Local: M-4-E-2


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters