RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



FOTOGRAFIA - GUTIERREZ. (J.) ALBUM FOTOGRÁFICO DO RIO JANEIRO - CIRCA 1890.

De 24,5x33,5 cm. com 19 fotografias grande formato em processo de albumina.

Encadernação da época (pastas em percalina vermelha com lombada em pele e finos ferros a ouro). Folhas de guarda em papel decorativo da época.

As 19 albuminas encontram-se impressas no formato de 21x27 cm. e encontram-se todas (excepto duas fotos) marginadas no processo fotográfico com uma cartela/legenda do fotografo: Título: Capital. Número do Cliché. Legenda da foto. Nome e morada do autor: Companhia Phototograhica Brazileira J. Gutierrez Succ. Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro, Brasil.

Segundo a publicação 'O Combate' no seu número de 27 de Fevereiro de 1892, 'graças ao talento e trabalho de Gutierrez [...] pela primeira vez fotografias perfeitas são produzidas no Rio de Janeiro'. Este Álbum reúne diversas panorâmicas do Rio de Janeiro, tornando-o um documento único para a história da cidade e para a história da fotografia. 

Relação das 19 albuminas deste conjunto antecedidas do número de cliché do catálogo fotográfico:

- Nº 118 Praça da República - Jardim

- Nº 27 Praia de Botafogo e Corcovado

- Nº 172 Escola Militar, Praia Vermelha

- S/N de Cat. Sem legenda: Fotografia do Corcovado visto do litoral sul.

- Nº 105 Subida au Corcovado (sic)

- Nº 30 Ponto Terminal do Caminho de Ferro do Corcovado.

- Do Catálogo S/N; com rodapé sem legenda; trata-se de um instantâneo do transporte de barris com vinho num carro com 4 juntas de bois.

- S/N Título: «Ile das Flechas / Flechas Island». Autor: «Comp[anhia] Photographica Brazileira, Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro»

- Nº 91 Ilha de Paquetá.

-  Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Le Corcovado vu du chemin des Aqueducs /The Corcovado View from the Aqueduct way. Comp. Phot. Braz. J. Gutierrez Succ. Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro»

- Nº 107 Vista Geral - Alfândega e A[rsenal] de Marinha

- Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Rio de Janeiro: vu de l'Ile "das Cobras" / seen from Ilha das Cobras. Comp[anhia] Photographica Brazileira, Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro».

- Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Quinta da Boa-Vista Résidence de l"ex-Empereur. Comp[anhia] Photographica Brazileira, Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro».

- Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Rio à vol d"oiseau - Pris du Morro do Livramento / Birds eye view from Rio - from Morro do Livramento. Comp. Phot. Braz. J. Gutierrez Succ. Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro».

- Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Panorama vu de Sta. Thereza / Panorama View from S. Thereza. Comp[anhia] Photographica Brazileira, Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro».

- S/N. Sem rodapé. Sem legenda. A imagem é um instantâneo capturado na via pública sobre o carril do bondinho do Rio de Janeiro e mostra vários carros de tracção animal em movimento e, ao longe, dois grupos de transeuntes param, e olham para o fotógrafo.

- Nº 98 Panorama - Vista do Morro do Senado.

- Do Catálogo S/N; com rodapé com legenda: «Le Corcovado vu du chemin des Aqueducs /The Corcovado View from the Aqueduct. Comp. Phot. Braz. J. Gutierrez Succ. Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro». Trata-se de outra imagem diferente, no entanto com o mesmo título de uma imagem anterior.

- Nº 116 «Aqueducto - Sta. Thereza E. C. B. do Silvestre. J. Gutierrez. R. G. Dias, 40».

Juan Gutierrez de Padilla (1860-1897) foi um dos mais importantes fotógrafos paisagistas do século XIX no Brasil e um dos maiores cronistas visuais do Rio de Janeiro. A atracção “[…] pela estética sombria das batalhas” (in “Os Sertões” de Euclides da Cunha) levou-o a registar em filme os acontecimentos da Revolta da Armada (1893-1894) e em 1895 realiza a reportagem fotográfica das comemorações dos 5 anos da implantação da República.

Gutierrez chegou ao Brasil entre 1885 e 1857, recebendo em 1889 o título de Fotógrafo da Casa Imperial. Isto não o impediu de, como tenente do exército, ter participado no movimento pela Proclamação da República e naturalizou-se brasileiro quando a mesma foi proclamada nesse mesmo ano. Um ano depois foi-lhe dada licença para usar as armas da República no seu estabelecimento, Photographia União, e cria uma sociedade anónima com 31 accionistas, denominada Companhia Photographica Brazileira, que também se dedicava à venda de material fotográfico. A Companhia Photographica Brazileira é dissolvida em Setembro e Gutierrez abre uma nova empresa com o seu nome  (J. Gutierrez). Em 1893 colabora como fotógrafo no semanário O Álbum. Morre em 1897 na Campanha de Canudos (estado da Baía), conflito armado entre as tropas federais e os fazendeiros abastados aliados à igreja que pretendiam reinstaurar a monarquia.

Gutierrez é considerado o percursor da reportagem de guerra e da fotografia jornalística no Brasil. Os registos inconográficos da Revolta da Armada fazem parte do património cultural reconhecido pela Unesco. A sua obra fotográfica é de importância fundamental para a história do Brasil e da América Latina em geral.

 GUTIERREZ. (J.) PHOTO ALBUM OF RIO JANEIRO - ca.1890.

Dim. 24.5x33,5 cm. With 19 big format albumins.

Contemporary binding with boards in red percaline (slightly worn) and gilt tools on leather spine. Contemporary marble endpapers.

According to the article published in “O Combate” on February 27th, 1892, for the first time there were perfect photos of Rio de Janeiro and that was due to the talent and work of Gutierrez. This Album gathers a set of pictures of Rio de Janeiro, being a unique document for the history of ther city and for the history of photography.

The nineteen 21x27cm photographies have all (but two) a caption of the photographer photographically printed with: Title: Capital; number of the printing plate; caption of the photo; name and address of the author (Companhia Phototograhica Brazileira J. Gutierrez Succ. Rua Gonçalves Dias, 40. Rio de Janeiro, Brasil).

(For the list of this set of photos check list above)

Juan Gutierrez de Padilla (1860-1897) was one of the most important landscape photographers of the 19th century in Brazil and one of the biggest visual chroniclers of Rio de Janeiro. His attraction “[…] for the gloomy aesthetics of battles” (in “Os Sertões” by Euclides da Cunha) lead him to register on camera the events of the Brazilian Naval Revolts, and in 1895 he does the photo coverage of the commemorations of the 5 years of the Brazilian Republic.

Gutierrez arrived to Brazil between 1885 and 1857, and in 1889 he is granted the title of Photographer of the Imperial House. However, this did not stop him to participate as a lieutenant of the army in the Republican Movement. He got the Brazilian citizenship in the same year the Republic was proclaimed (1889). On the next year he was allowed to use the coat of arms of the republic in his store, Photographia União, and he founds the Companhia Photographica Brazileira, which also sold photographic material. The Companhia Photographica Brazileira closes in September and Gutierrez opens a new company with his own name (J. Gutierrez). In 1893 he works as a photographer for the weekly publication O Álbum. He is shot dead in 1897 during the War of Canudos (state of Baía), an armed conflict between the federal army and the rich farmers allied with the church who intended to restore the monarchy.

Gutierrez is considered the father of war and photo journalism in Brazil. The iconographic photos of the Naval Revolts are part of the cultural heritage recognized by Unesco. His work is of utmost importance for the history of Brazil and Latin America.

Referência: 1912JC001
Local: M-10-B-32


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters