RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



NOTICIAS (O) ILUSTRADO. N.º 212 a 263.

Edição Semanal do Diário de Notícias. Director Leitão de Barros, Editor António das Neves Correia, Director Gerente Carolina Homem Christo. Propriedade e edição da Empresa do Diário de Notícias. Lisboa. 1932-1933.

De 34,5x26 cm. Com 1008 págs. Encadernações com as lombadas e os cantos em pele, com ferros a ouro. Profusamente ilustrada nas capas e no texto. O número 238, do Natal de 1932, publicado no dia 1 de Janeiro de 1933, apresenta as capas impresssas em policromia, sobre papel muito encorpado.

Colecção com 50 números desde o nº 212 (3 de Julho de 1932) ao nº 263 (25 de Junho de 1933), com 24 págs. cada. Faltam nesta colecção o nº 237 e o nº 259.

Publicação periódica que se caracteriza pela notável qualidade estética das capas anteriores e posteriores. Foram publicados mais de 382 números entre 18 de Março de 1928 e 6 de Outubro de 1935. Os fotógrafos incluem Ferreira da Cunha, Raul Reis, Maurício de Oliveira, Firmino do Carmo, Vaissier, Nogueira de Brito, Salazar Diniz, Salgado e Horácio Novais.

Cada número era em geral estruturado do seguinte modo: os pares de páginas iniciais e finais, a seguir às capas, (que contavam para a numeração) ou seja as páginas 2-3 e 22-23 apresentam um grande número de anúncios comerciais, que só por si são uma valiosa fonte para o estudo da história da publicidade e da economia.

As páginas 4 e 5 eram dedicadas uma crónica do cinema do teatro e de outos espectáculos e exposições, as páginas 6 e 7 apresentam novelas em folhetins, anúncios e recensões de livros. As páginas 8 e 9, completamente ilustradas apresentam as fotografias enviadas para concursos promovidos pela revista e fotografias de actualidades como o regresso de Amsterdão da Selecção Nacional de Futebol. As páginas 10 e 11 são preenchidas por notícias, crónicas diversas, crónicas sobre desporto, curiosidades e críticas de cinema. As páginas 12 e 13 totalmente ilustradas com fotografias documentam acontecimentos religiosos, eventos da alta sociedade, da Administração Pública, da diplomacia e da política. As páginas 14 e 15 incluem mais crónicas, crítica teatral, crítica de discos, anedotas ilustradas e anúncios. As páginas 16 e 17 completamente ilustradas são dedicadas às artes. As páginas 18 e 19 incluem textos literários, críticas de música clássica e de Jazz, textos sobre tauromaquia, continuações de artigos das páginas anteriores, charadas, enigmas, xadrez e damas. As páginas 20 e 21 totalmente ilustradas são dedicadas a curiosidades e a assuntos muito variados, como, por exemplo, notícias sobre desastres de viação, turismo, nas praia em Espinho e na Madeira em Dezembro de 1932.

As capas apresentam fotografias de actores portugueses, Aurora Aboim, capa, do nº 239, Vasco Santana, contracapa do nº 241, Irene Isidro, na contracapa do nº 246, Amélia Rey Colaço, na capa do nº 248, e muitos actores, escritores, músicos e bailarinos, personalidades de todos os sectores de actividade, pessoas de todas as classes sociais portugueses e estrangeiros.

As notícias sobre religião incluem, o nº 258 de 21 de Maio de 1932, tem capa e duas páginas interiores sobre a grande peregrinação a Fátima.

São publicadas grande quantidade de fotografias do General Carmona participando em numerosas cerimónias, como, por exemplo, capa do nº 253, sem legenda.

Neste conjunto é possível seguir a ascensão política de António de Oliveira Salazar, de que são publicadas fotografias, que se virão a tornar icónicas, nos seguintes números: capa do nº 212, de 3 de Julho de 1932 com fotografia de Denis Salgado, com a legenda: «O ditador Oliveira Salazar toma conta do Governo Português», interior do nº 213, de 10 de Julho de 1932, fotografia de Salazar discursando no acto de posse, na contracapa do º 217, Salazar no funeral de D. Manuel II, fotografia de capa do nº 233, de 27 de Novembro de 1932, com a legenda «O Chefe do Governo fala ao País», e na contracapa com fotografia dos presentes na cerimónia com a legenda: «Um grande acontecimento político, as directrizes futuras da ditadura»; fotografia de capa do nº 237 de 25 de Dezembro de 1932 e 2 páginas interiores, com António Ferro, com a legenda: A expressão de Salazar está nos Painéis de Nuno Gonçalves; capa do nº 250 de 26 de Março de 1933, com a legenda: «Uma fotografia para a história do 28 de Maio, Oliveira Salazar o ditador português, vota a Nova Constituição!»; interior do nº 253 de 16 de Abril de 1933, com fotografia da cerimónia da tomada de posse de Oliveira Salazar, como chefe do primeiro governo depois da Constituição de 1933; a contracapa do nº 260 de 4 de Junho de 1933, com fotografia de Salazar a discursar na Sessão Festiva no Coliseu, das comemorações do aniversário do 28 de Maio, com Garrafa de Porto Borges, em destaque tal como na fotografia da contracapa do nº 233; nº 263, de 25 de Junho de 1933, tem a capa dedicada a um astrólogo com o signo de Oliveira Salazar em destaque.

O nº 216 apresenta reportagem sobre a visita do Ministro das Colónias, Armindo Monteiro, a Angola e no nº 261 visita do mesmo às Minas de Diamantes do Dundo em Angola. Os números 224 a 226 incluem reportagens e artigos sobre o Império Colonial Português e a visita a Lisboa de delegações das colónias, tal como os Fulas da Guiné. Os nºs 213 e 214 atribuem grande destaque ao falecimento de D. Manuel II e ao novo pretendente ao trono, D. Duarte Nuno assim como ao testamento do último rei de Portugal, que legou os bens da Casa de Bragança a Portugal e aos funerais, no nº 217, com fotografia do Cardeal Cerejeira, que presidiu às cerimónias solenes em S. Vicente.

Nos últimos números deste conjunto é concedido grande destaque ao programa de rearmamento da Marinha de Guerra com a chegada a Lisboa de embarcações fabricadas em Inglaterra e a construção e lançamento á água de embarcações fabricadas em Portugal. Muitos números contêm reportagens sobre as visitas de navios de guerra estrangeiros a Lisboa e reportagens sobre os pioneiros da aviação incluindo a viagem aérea a Moçambique.

Os números 218 e 226 incluem reportagens de Armando de Aguiar, sobre a ascensão do Partido Nazi de Hitler e o forte sentimento militarista dominante na sociedade alemã.

Artigos, obras de ficção e poesia de grandes escritores, Alves Redol, António Boto. Comemorações de efemérides da 1ª Guerra Mundial, assunto que é tratado todas as vezes que passam efemérides da Guerra de 1914-1918; o nº 240 de 15 de Janeiro de 1933, apresenta reportagem sobre a inauguração do Monumento da Guerra Peninsular, em Entrecampos.

Conjunto muito raro e valioso. Fonte muito importante e imprescindível, para o estudo da vida cultural, artística, desportiva, social, política, durante o período crucial da história de Portugal do século XX, desde a ditadura Militar até aos anos de implantação do Estado Novo.

Referência: 1811PG013
Local: M-2-C-14


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

SERVIÇOS

Avaliações e Compra


Organização de Arquivos


Pesquisa Bibliográfica


A SUA ENCOMENDA

Ver

Encomendar


Valor: €0

Temáticas


Índice Geral / All Categories

Livros Raros / Rare Books

free counters