RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



Conestaggio. (Girolamo Franchi di) Historien der Königkreich, Hispannien, Portugal und Aphrica, daraus dann zusehen, in welcher Zeit, sonderlich Portugal, seinen Anfang genommen.

Wie von Don Anthonio, der auch vermeinte König in Portugal zuwerden? Auss dem Italianischen, durch Albrecht Fürsten in das Hochdeutsch gebracht. München, Adam Berg. 1589.

In folio [xxv], 126, [i] folhas.

Magnífica encadernação da época inteira de pele de vitela, com nervos e ferros a seco na lombada e nas pastas.

Exemplar com ex-libris, de grandes dimensões, de Ferdinand Hoffmann, Freiherr von Strechau und Grünbühel, nobre da Estíria (Áustria), colado no interior da encadernação e com o seu Super-libris armoriado na pasta anterior.

Ilustrado com duas gravuras abertas em placas de cobre representando a Batalha de Alcácer Quibir e a Batalha Naval nos Açores. Florão ao centro da folha de rosto.

Obra muito importante para a história e a iconografia do reinado de D. Sebastião e o início da Monarquia Dual.

Raríssima 1ª edição da tradução alemã (desconhecida de Inocêncio a José dos Santos e muitos outros bibliógrafos) da autoria de Albrecht Fürst da célebre obra Dell’unione del regno di Portogallo alla corona di Castiglia. Genova, Girolamo Bartoli. 1585.

A obra conheceu grande difusão sendo reeditada em Itália várias vezes: Génova 1589, Veneza 1592, Milão 1616, Verona 1642 e traduzida para as principais línguas da Europa: Francês, 1595, reeditada em 1601; Inglês, por Edward Blount, 1600; Latim 1602; Espanhol, por Luís de Bavia, 1610 (com alterações nos passos em que Conestaggio se mostra hostil a Espanha); e novamente para francês em 1680 com reedição em 1695.

Nela o autor descreve como o Rei de Espanha, Filipe II, se tornou rei de Portugal como Filipe I. Conestaggio narra os antecedentes, nomeadamente a campanha em África do Rei D. Sebastião e a sua morte na Batalha de Alcácer Quibir, a batalha de Alcântara entre as tropas de D. António e do Duque de Alba e a derrota da esquadra inglesa nos Açores.

O autor exerceu as suas actividades comerciais em Lisboa de cerca de 1576 a 1582, sendo assim uma testemunha privilegiada dos acontecimentos históricos que descreve. Quanto à Batalha de Alcácer Quibir, ter-se-á baseado em informações de D. João da Silva, que acompanhou D. Sebastião na batalha como embaixador de Filipe II, o que levou alguns a dizer, erradamente, que seria D. João o autor.

A atribuição desta obra a D. João da Silva, 4º Conde de Portalegre, feita por Inocêncio a partir de uma vagas alusões de D. Francisco Manuel de Melo e de Gracián não tem base. Conestaggio é um notável historiador e poeta e foi a sua posição independente, patente nesta obra e na História das Guerras da Flandres que, provavelmente, levou os seus adversários a inventarem esta mentira.

O historiador Queiroz Veloso, na sua obra sobre D. Sebastião, p. 316, afirma a autoria de Conestaggio e considera que o facto de o autor ter tido como fonte D. João valoriza a obra. As investigações de Giacinto Mnuppela sobre Conestaggio, publicadas em 1957, 1960 e 1984, resolveram definitivamente a questão da autoria a favor do italiano.

O autor desagradou aos espanhóis e aos portugueses tendo sido, neste caso, certos passos da sua obra contestados por Jerónimo Mendonça na obra com o título Jornada de África, na qual se responde a Hieronymo Franqui e a outros, e se trata do sucesso da batalha [de Alcácer Quibir]. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1607.

Girolamo Conestaggio (Génova c. 1530 - Génova ou Amsterdão c. 1618) foi um comerciante, diplomata, poeta e historiador. Viveu em Anvers, Flandres de 1552 a 1576, ano em que se instalou em Lisboa até 1580. A parte final da sua vida decorreu em Génova, tendo desempenhado, em 1590, as funções de cônsul de Génova em Veneza. Não se sabe se faleceu em Génova ou na Flandres. Além da obra em apreço escreveu História da tentativa da Conquista de Argel, Génova, 1601; Delle Guerre della Germania Inferiore, Veneza 1614; e Rime. Amsterdão, 1619.

 Dim.: In folio [xxv], 126, [i] folios.

Binding: Magnificent contemporary full velum binding with raised bands and blind tools on spine and boards.

First German edition, complete with two large copper plates depicting the Battle of Alcazar and the Sea Battle of Terceira (the original Italian edition of 1585 was not illustrated). Good copy from the library of the Styrian noble Ferdinand Hoffmann, Freiherr von Strechau und Grünbühel, with his armorial on front board and engraved ex-libris on pastedown.

A very important work for the history and iconography of the kingship of D. Sebastião and the beginning of the double monarchy.

This work has had many editions, having been edited several times in Italy: Genoa 1589; Venice 1592; Milan 1616; Verona 1642. It has also been translated into the main European languages: French, 1595, re-edited in1601; English by Edward Blount, 1600; Latin 1602; Spanish by por Luís de Bavia, 1610 (who changed the parts where Conestaggio shows hostility against Spain); and again into French in 1680, reprinted in 1695.

The author describes the way the king of Spain, Filipe II, became the king Filipe I of Portugal. Conestaggio narrates the events that led up to it, mainly the crusade in Africa of king D. Sebastião and his death in the battle of Alcácer Quibir; the battle of Alcântara between the troops of D. António and of the Duque of Alba; and the defeat of the English fleet in the Azores.

The author started his business in Lisbon from 1576 to 1582, thus being a privileged witness of the historical events he describes. As for the battle of Alcácer Quibir, he may have been based on information from D. João da Silva, who accompanied D. Sebastião into battle as ambassador of king Filipe II. This led to some, wrongfully, saying that the author was D. João.

The authorship of this work to D. João da Silva, 4th Count of Portalegre, made by Inocêncio from some vague references by D. Francisco Manuel de Melo and Gracián is misconceived. Conestaggio is a notable historian and poet and it was his independent stance, visible both in this work and in the History of Flanders Wars, that probably led his opponents to come up with this lie.

The historian Queiroz Veloso in his work about D. Sebastião (p. 316) confirms the authorship of Conestaggio and considers that the author having as source D. João values the work. The researches carried out by Giacinto Mnuppela on Conestaggio, published in 1957, 1960 and 1984, definitely solved the issue of the authorship in favour of the Italian.

The author displeased Spanish and Portuguese, having been certain parts of his work disputed by Jerónimo Mendonça in his book Jornada de África, where he answers to Hieronymo Franqui and others.

Girolamo Conestaggio (Genoa ca. 1530 – Genoa or Amsterdam ca. 1618) was a trader, diplomat, poet and historian. He lived in Anvers, Flanders from 1552 to 1576, moving to Lisbon on this year and living there until 1580. He lived in Genoa during the last years of his life. In 1590 he was Consul of Genoa in Venice. It is not known if he died in Genoa or in Flanders. Besices this work he also wrote History of the Conquest Attempt of Argel, Genoa, 1601; Delle Guerre della Germania Inferiore, Venice1614; and e Rime. Amsterdam, 1619.

Referências/References:

Queiroz Veloso. D. Sebastião, 1554-1578. 3ª edição. Empresa Nacional de Publicidade. Lisboa. 1945.

Catálogo da Livraria Duarte de Sousa. Séculos XV e XVIII. SEIT. Lisboa. 1974. nº 25, 26, 113, 114 e 115. Várias edições do século XVI e traduções do século XVII.

Azevedo-Samodães 3185. Possuía só a edição de Veneza, 1642, mas José dos Santos, que organizou o catálogo, descreve várias outras edições e traduções, excepto esta tradução alemã. [He owned just the Venice edition of 1642, but José dos Santos, who wrote the catalogue, describes several other editions and translations but not this German translation]

Monteverde 5046 (Ed Veneza, 1592)

- VD16 C 4701 - Palau 115.402 - vgl. Adams C2502 u. Brunet II, 217 (ital. Ausg.).-

 Mit Wappenholzschnitt am Titel, 2 (mehrf. gef.) Kupfertafeln, 4 Holzschnittporträts, 1 Textholzschnitt sowie 1 gr. Holzschn.- Druckermarke, blindgepr. Schweinsldr. mit rot eingefärbt. Wappensupralibros am VDeckel (Hoffmann von Grünbühel).

Erste deutsche Ausgabe, in der Übersetzung von Albrecht Fürst, von 'Dell unione del regno di Portogallo alla Corona di Castiglia' (Genua 1585). Früher auch Juan de Silva zugeschrieben, gilt Conestaggio inzwischen als gesicherter Autor.

Das Original erschien 1585, eine spanische Übersetzung erst 1610. Das Werk schildert die Vereinigung Portugals mit Spanien unter Philipp II. im Jahr 1580 und berichtet über den tragischen Tod König Sebastians am 4. August 1578 in der Schlacht von Alcázer-Quibir (Nordafrika) sowie über die See- und Landkämpfe bei Terceira (Azoren);

Mit 1 gr. Kupfertafel illustriert.- Innendeckel mit großem gestochenem Exlibris (25,5 x 17 cm) von Ferdinand Hoffmann, Freiherr von Strechau und Grünbühel (gest. 1597), gestochen v. M. Kilian nach M. Göndolach.

 

Referência: 1806CS002
Local: M-11-B-CF


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters