RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



BOSSUET. (Jacques Benigne) INSTRUCTION SUR LES ESTATS D' ORAISON.

Où sont exposées les erreurs des faux mystiques de nos jours: Avec les actes de leur condannation. Par Messire Jacques Benigne Bossuet Evesque de Meaux, Conseiller du Roy en ses Conseils, cy-devant Precepteur de Monseigneur le Dauphin. Seconde Edition. A PARIS, Chez Jean Anisson Directeur de l" Imprimerie Royale, ruë de la Harpe, à la Fleur-de-Lis de Florence. M. DC. XCVII. [1697]. Avec Privilege du Roy.

In 8º de 20x13 cm. com [lvi], 504, cxxx, [xxviii] págs.

Magnífica encadernação da época inteira de pele com nervos, ferros a ouro e rótulo na lombada, com esquadrias e superlibris armoriado gravados a ouro nas pastas e com ferros a ouro nas seixas. Apresenta algum desgaste na lombada e nas charneiras. Folhas de guarda em papel de fantasia da época. Cortes de folhas carminado.  

Impressão muito nítida e bela com caracteres redondos e itálicos e ornamentada com um florão na folha de rosto, cabeções xilográficos, um cabeção gravado na página 1 e um florão de remate na página 504.     

Contém prefácio, índice dos capítulos, das adições e correcções, dos documentos de condenação do quietismo, aprovações do Arcebispo de Paris, do Bispo de Chartres, carta do autor ao Papa Inocêncio XII, um Breve deste pontífice, a «Instruction» dividida em dez capítulos, com adições e correcções, e nas páginas sem numeração a transcrição dos documentos relativos à condenação das doutrinas defendidas pelos Quietistas, um índice de assuntos e um resumo do privilégio real, datado de 25 de Maio de 1697.     

Exemplar muito raro de uma variante (na antepenúltima linha da página 261 tem convents em lugar de couvents) da 2ª edição, que foi  publicada no mesmo ano da 1ª edição.

Nesta obra o autor descreve os erros de certos cristãos que defendiam uma fé sem obras e a possibilidade de uma união com Deus sem meditação e oração, tendências difusas que sempre existiram e que no século XVI e XVII ficaram conhecidas por Quietismo e foram defendidas por Miguel de Molinos. Na corte francesa foram defendidas por Madame de Guyon, que obteve diversos apoios incluindo o do Arcebispo de Cambrai, François de Fenelon. A defesa enérgica da ortodoxia católica sobre estas questões feita por Bossuet levou à condenação, como erradas, destas opiniões e conduziu Fenelon a aceitar as decisões do Papa, que confirmou os escritos de Bossuet. 

Jacques Benigne Bossuet (Dijon, 1627 – Paris, 1704) foi bispo de Meaux e notabilizou-se como um defensor da doutrina católica, entrou em diversas polémicas com protestantes, quietistas e outros, tendo condenado os excessos de luxo e abusos de poder da corte francesa. Por outro lado é um grande escritor, que escreveu todas as suas obras num estilo rico e com uma prosa sumptuosa e ritmada que veio a influenciar escritores e poetas do século XX.    

J. A. G. Tans. Bossuet en Hollande. Maastricht, 1949. «Quelles richesses profondes se trouvent amassées dans son oeuvre, quel travailleur inlassable se récèle derrière la pompe épiscopale.»

FRBNF 45331533. 

 In octavo. 20x13 cm. [lvi], 504, cxxx, [xxviii] pp.

Binding: Magnificent contemporary full calf with raised bands, gilt tools and label on spine. Gilt coat of arms framed by gilt tools on boards. Contemporary decorative endpapers. Red edges. Worn out spine.

Very sharp and beautiful print with round and italic characters, decorated with a fleuron on the title page, woodcut engraved head bands, a headband engraved on page 1 and a tail fleuron on page 504.     

It includes preface; index of chapters, additions and corrections, and of the documents condemning the Quietism; approvals of the Archbishop of Paris and of the Bishop of Chartres; letter of the author to Pope Innocent XII; a Brief of this pope; the «Instruction» divided into tem chapters with additions and corrections; and on the unnumbered pages the transcription of the documents concerning the condemnation of the principles advocated by the Quietism; an index of  subjects, and a summary of the royal privilege dated May 25, 1697.     

Very rare copy of a variant (on the third to last line of page it is written convents instead of couvents) of the second edition that was published on the same year of the first.

In this work, the author describes the mistakes of certain Christians who defended a faith with no works and the possibility of a union with God with no meditation or prayer, a trend that have always existed and that in the 16th and 17th centuries became known as Quietism and were uphold by Miguel de Molinos. In the French court they were defended by Madame de Guyon, who had several supporters including the Archbishop of Cambrai, François de Fenelon. Bossuet’s active support of the Catholic orthodoxy on these issues led to the condemnation of these opinions as wrong and led Fenelon to accept de Pope’s decisions, who confirmed the writings of Bossuet. 

Jacques Benigne Bossuet (Dijon, 1627 – Paris, 1704) was Bishop of Meaux and became famous as an advocate of the Catholic Doctrine. He got involved in arguments with Protestant and Quietists, among others, having also condemned the excess of luxury and power abuses of the French court. He was also a great writer who did all his works in a rich style, with a sumptuous and rhythmic prose that came to influence writers and poets of the 20th century.    

 

Referência: 1803PG066
Local: M-9-A-51


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters