RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS, QUADRO A ÓLEO PINTADO SOBRE MADEIRA.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



SALGADO LISBONENSE. (Fr. Vicente) MEMORIAS ECCLESIASTICAS DO REINO DO ALGARVE

Offerecidas ao Exc.mo e Rev.mo Senhor Bispo de Beja &c. &c. &c. POR Fr. VICENTE SALGADO LISBONENSE Da Congregação da Terceira Ordem de S. Francisco de Portugal. Tomo I. [e único publicado]. LISBOA, Na Regia Officina Typografica. Anno M. DCC. LXXXVI. [1786].

In 8º (de 17,5x11,5 cm) com (xxxvi)-316-(i) págs.

Encadernação da época com lombada e cantos em pele, com as pastas revestidas em papel decorativo (da época).

Exemplar com título de posse manuscrito sobre as folhas de guarda e de anterrosto: «He do Bacharel Joaquim José Granja».

Único tomo publicado. De acordo com fontes bibliográficas, existiu o manuscrito da segunda parte, nunca publicado. Apresenta no texto várias transcrições da epigrafia dos monumentos fúnebres romanos no Algarve.

Obra rara pelo seu tema – A História do Algarve – uma província de Portugal,  neste tempo ainda considerada um reino separado ou anexado à coroa: o Reino do Algarve. A narrativa histórica baseia-se em documentos históricos coevos e antigos, principalmente textos latinos, baseados ou transcritos de fontes árabes, gregas e hebraicas.

O autor descreve os povos que viveram no Algarve, nomeadamente os fenícios, os cartagineses e os romanos, procurando dar nota ao leitor da cultura própria deste reino. A narrativa histórica abrange a época até ao século XIII (anos de 1200 DC), quando o Algarve foi conquistado aos Mouros pelo rei D. Afonso III, e termina com um breve comentário sobre a conquista dos cruzados e dos portugueses.

O autor nasceu em Lisboa (1732-1802), tomou a Ordem dos Franciscanos e pertenceu à geração de estudiosos e arabistas que foram pioneiros no seu interesse pela paleografia, pela numismática e pelas antiguidades. Estes estudos árabes foram promovidos no reinado de D. José I, baseados na procura das fontes neoclássicas da cultura europeia, as quais, em grande parte, foram transmitidas pelos árabes da Península Ibérica a partir de fontes latinas e gregas.

 In 8º (17.5x11.5 cm) with (xxxvi)-316-(i) pp.

Binding: Contemporary half calf, missing part of the spine with the back of text block visible. Otherwise in very good condition.

Copy with handwritten ownership title on the endpapers and half title: «He do Bacharel Joaquim José Granja» [Belongs to the Bachelor Joaquim José Granja].

Only volume published. According to bibliographic sources there was a manuscript of the second volume that was never published. There are several transcriptions, in text, of the epigraphy of the Roman funeral monuments in Algarve.

A rare work due to his theme, the history of Algarve, a province of Portugal, that at that time was still considered a separated kingdom, although ruled by the Portuguese Crown: The kingdom of Algarve. The historical narrative is based in contemporary and ancient historical documents, mainly Latin texts based on or transcribed from Arabian, Greek, and Hebrew sources.

The author describes the peoples who lived in Algarve, namely the Phoenicians, Carthaginians, and Romans, trying to inform the author of the particular culture of this kingdom. The historical narrative extends until the 13th century, when Algarve was taken from the Moors by king D. Afonso III, and ends with a brief comment about the conquests of the crusaders and the Portuguese.

Fr. Salgado Lisbonense was born in Lisbon (1732-1802). He entered the Order of St. Francis and belonged to the generation of scholars and Arabists who were pioneers in their interest on palaeography, numismatic and antiquities. These Arabian studies were promoted during the kingship of D. José I and were based on the search for the neoclassic sources of European culture, which, in most part, were transmitted by the Arabians in the Iberian Peninsula from Latin and Greek sources.

Ref.: Inocêncio VII, 441. “FR. VICENTE SALGADO, Franciscano da Congregação da terceira Ordem, foi natural de Lisboa, e n. na freguezia de S. Nicolau, a 5 de Abril de 1732. Habilitado apenas com os estudos menores, entrou na Ordem de S. Francisco, professando no collegio de S. Pedro de Coimbra a 25 de Agosto de 1748. Ahi cursou as aulas maiores, tendo por mestre o sabio Fr. Manuel do Cenaculo, depois bispo de Beja. Estudou a paleographia com o professor P.e José Pereira, e adquiriu sufficientes conhecimentos da numismatica no Museu Bejense. Applicou se com particularidade ao conhecimento das antiguidades nacionaes e da sua Ordem, tornando se umas e outras assumpto especial da sua predilecção. Foi Prégador geral jubilado, Secretario do conselho, Cartorario, Prelado nos conventos de Araiolos e Vianna do Alemtejo, primeiro Reitor do collegio d"Evora, Professor de latinidade em Silves, Chronista da sua congregação, nomeado em 13 de Junho de 1787, e Ministro geral, eleito no capitulo de 1789. - M. no convento de N. S. de Jesus de Lisboa, a 30 de Abril de 1802, com 70 annos de edade. - Memorias ecclesiasticas do reino do Algarve, offerecidas ao ex.m° e rev.m° sr. bispo de Beja, etc. Tomo I. Lisboa, na R. Offic. Typ. 1786. 8.º de 32 (innumeradas) 316 pag., e mais uma de erratas. - Deixou manuscripto o tomo II, cujas noticias chegam até o tempo do bispo D. Alvaro Pelagio. (Vej. de assumpto similhante no Diccionario, tomo III, o n.º J, 4.

 

Referência: 1701JC005
Local: M-11-C-40


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters